7.3.11

Impacto - capítulo 9

Enquanto ia a metade do caminho, Edward reparou que Kate tinha deixado a sua carteira no carro. Quedevia fazer? Ligar-lhe ou levá-la a casa? Ela não queria certamente vê-lo...Tentou ligar-lhe mas ela não lhe atendera, por isso decidiu fazer o sacríficio e fez-se à estrada.
Uma bela tempestade, não era nada comparando com o que se tinha sucedido só naquele dia.
Torturava-se ao pensar porque a tinha beijado, sabia que ela era comprometida mas não conseguira resistir ao seu encanto, aos seus olhos, ao seu perfume. Ela punha-o loucamente, desesperadamente apaixonado. Mal chegou ao jardim da casa de Kate, reparou que nenhuma luz estava acesa e que estava um silêncio de morte, teria ela saído? Era capaz, mas decidiu avancar e tocou à campainha, nada nem ninguém.
Quando já ia em direcção ao seu carro ouviu um grito. Não era a voz de Kate, mas mesmo assim algo se passava naquela casa.
Tentou ver o que se passava pelas janelas da sala, mas não deu em nada e então lembrou-se de ver se haveria uma porta das traseiras. Bingo!
O mais estranho era que esta mesma estava aberta. Antes de entrar telefonou para a polícia, algo de mau se decorria e não podia arriscar a vida de Kate. Entrou em bicos de pés e pegou numa faca. Dirigiu-se para uma das divisões e depois conseguiu ouvir a vos masculina que gritara à pouco.
- Por favor, deixe-me levá-la, ela tem de ir já para o hospital!- disse soluçando.
- Claro, depois do telemóvel e das fotos, já disse!- gritou o assaltante se era isso que ele era.
- Mas do que é que está a falar?!- perguntou de novo a voz do grito, Edward deduziu que fosse o namorado de Kate do qual não sabia o seu nome.
O assaltante levantou a voz.- Não te armes em engraçadinho! Queres que ela morra mesmo à tua frente? E sentires-te culpado para o resto da tua miserável vida por não a teres conseguido salvar?- enquanto Edward ouvi-a sobre o estado crítico de Kate, estremecia. A sua vontade era correr que nem um louco e espetar aquela faca na barriga do assaltante, mas tinha de ser inteligente, tinha de salvar a mulher da sua vida.
O namorado de Kate e o assaltante calaram-se por segundos mas de seguida ouviu-se um armário ou algo do género a cair, talvez o assaltante tivesse à procura do que queria e foi aí que Edward se lembrou de algo.
Dirigiu-se para o exterior da casa, silenciosamente e tocou à campainha. Ouviu os passos do assaltante a dirigirem-se à porta e Edward procurou a janela que correspondia ao quarto onde eles estavam, abriu-a enquanto o assaltante abri-a a porta. Encontrou-a depressa e mal os seus olhos se depararam com a visão do corpo de Kate, soube que tinha de se despachar. Chamou a atenção de Dave, que ficou confuso por ver um estranho à sua janela a atirar-lhe uma faca.
Dave mexeu o seu corpo para a alcançar mesmo a tempo de a esconder do assaltante, e Edward por sua sorte tinha conseguido fechar a janela e esconder-se.
Dave já com a faca na sua posse, cortou as cordas que lhe prendiam os pulsos sem que o outro reparasse, tinha de agir depressa. Fez forças nos pés para se conseguir levantar e mal o fez espetou a faca no peito do assaltante. Este conseguiu disparar um tiro contra Dave, antes de cair redondo no chão, atingindo-o num dos seus braços.
A polícia juntamente com Edward entraram naquela quarto mesmo antes de Dave fechar os seus olhos.

8 comentários:

  1. Adorei!
    Estou viciada nesta história :D

    ResponderEliminar
  2. Ah mas eu adorei :D
    Só tenho receio que ela deixe o Dave, ele é tão querido *.*

    ResponderEliminar
  3. Oh mas ele tão querido!
    Podes sempre fazer uma sondagem (:

    ResponderEliminar
  4. Acho que sou a única a gostar do Dave :( :p

    ResponderEliminar
  5. O site é
    http://www.filmesonlinedublados.com/

    ResponderEliminar
  6. A sério! Está fantástica! Foi emocionante lê-la! :D O Edward surpreendeu-me mas continuo a achar o Dave mais fofinho! :D beijinho grande e não precisas de agradecer o apoio que te dei! ;) não foi assim muito grande :D beijinho!

    ResponderEliminar